Dica Pulmocardio

A doença pulmonar restritiva é extremamente comum em crianças com paralisia cerebral especialmente em sua forma espástica. Somando-se a essa disfunção, o pobre estado nutricional, aspirações recorrentes, refluxo gastroesofágico, dificuldade de drenar secreções brônquicas, incoordenação e fraqueza muscular aumentam os risco de morbimortalidade como resultado do desenvolvimento de infecções respiratórias.

Os dispositivos de inspirometria de incentivo, apesar de pouco utilizado em alguns serviços atualmente, é mundialmente aceito para pacientes que necessitam aumentar sua capacidade inspiratória de forma lenta e profunda, com auxílio de feedback visual, permitindo abertura de vias aéreas colapsadas.

O alvo visual encoraja fortemente as crianças a fazerem sempre o melhor que podem e com isso, aumenta a possibilidade de adesão.

Este estudo Koreano, controlado e randomizado, foi realizado com 50 crianças com paralisia cerebral, idade média de 11 anos, a maioria com avaliação da GMFCS entre II e III e que tinham habilidade para manter a cabeça e tronco contra gravidade.

O objetivo principal desse bonito estudo foi verificar o efeito da inspirometria de incentivo sobre a função pulmonar e o tempo máximo de fonação que representa a habilidade para sustentar maximamente um som de vogal após uma inspiração máxima.

Esse teste avalia a eficiência do mecanismo respiratório durante a fonação. Talvez uma medida interessante para ser trabalhada junto com os profissionais da fonoaudiologia.

Bem, como desfechos, observaram que após um treinamento de 4 semanas com esses dispositivos, houveram  benefícios na função pulmonar e no tempo de fonação. Esses achados sugerem portanto que a inspirometria de incentivo pode ajudar as crianças com risco de distúrbios respiratórios e pobre controle respiratório na produção da sua linguagem.

Vale a pena a leitura.

http://www.eymj.org/Synapse/Data/PDFData/0069YMJ/ymj-57-769.pdf

Autora: Profa. Lívia Andrade

Deixe uma resposta