A vida pós a doença crítica na era da COVID-19

Enquanto a equipe de saúde está se familiarizando com o manejo agudo e algumas complicações específicas dessa nova doença (COVID-19), as sequelas em médio e longo prazo permanecem desconhecidas. Os sobreviventes da doença crítica podem apresentar uma infinidade diferente de sequelas ou disfunções em segmentos diferentes como:

Cardiorrespiratório
• Respiração – comprometimento fisiológico, lesão pulmonar persistente, respiração disfuncional e possíveis sintomas de insuficiência cardíaca
• Tosse residual
• Trombose – micro e macro – incluindo avaliação da hipertensão pulmonar
• Efeitos cumulativos de esteróides nos ossos / trato gastrointestinal/ diabetes
• Lesão / estenose traqueal relacionadas à traqueostomia
• Lesão glótica e disfonia
• Doença pulmonar intersticial

Sistema nervoso periférico e neurológico
• Risco aumentado de fraqueza adquirida na UTI devido a sedação profunda, uso de medicações como bloqueio da neuromusculares, decúbito prolongado
• Neuropraxias, neuropatias, parestesias devido a decúbito prolongado
• AVC / HAS
• Fadiga e cansaço extremos

Assim, no período pós pandemia do Coronavírus é provável que a proporção de pacientes gravemente enfermos que necessite de reabilitação complexa seja da ordem de 30 a 50%. Os serviços de acompanhamento devem ter o potencial de executar uma rede de apoio entre serviços ambulatoriais uni ou multiprofissionais para assim tratar os sintomas da síndrome pós alta da UTI.
Existem relatos de sintomas de seis meses até um ano após uma hospitalização prolongada, porém, cada pessoa terá um processo de recuperação diferente e ainda não se sabe quanto tempo levará a recuperação plena após a COVID-19. Alguns sintomas podem melhorar ou resolver completamente dentro de semanas, enquanto outros podem melhorar lentamente ou persistir por meses. Mesmo que os sintomas não melhorem, os profissionais de saúde podem apoiar as pessoas à medida que se ajustam a um novo nível de funcionamento após doenças críticas.
Esse processo pode alterar bastante a qualidade de vida das pessoas e de seus cuidadores e familiares. Algumas pessoas não conseguem voltar ao trabalho ou o mesmo tipo de trabalho após uma doença grave, podem ter dificuldades financeiras, incluindo dificuldade de acesso a tratamentos de saúde, dessa forma, toda sociedade precisa de apoio e união para juntos atravessamos esse novo tempo.

 

Sugestões de leitura

What Is Post–Intensive Care Syndrome (PICS)? Am J Respir Crit Care Med Vol. 201, P15-P16, 2020 ATS Patient Education Series © 2020 American Thoracic Society

https://www.sccm.org/MyICUCare/THRIVE/ Síndrome de Cuidados Pós-Intensivos

RECOVERY AND REHABILITATION FOR PATIENTS FOLLOWING THE PANDEMIC (The faculty of Intensive care Medicine) NHS May 2020.

Deixe uma resposta